Postagens

Mostrando postagens de 2008
"Vi veri veni versum vivus vici."

Isso é sobre tentar enganar o diabo. Ou talvez, enganar aquela imagem no espelho...
Não fecho as portas quado passo. Sigo sempre em linha reta. Por que em linha reta é mais rápido.
Mas, todos que caminham por esta mesma estrada, são solitários, criaturas apressadas, buscando o final da estrada. Nenhum daqueles que seguem estradas tortuosas, mas queestão sempre a esbarrar nesta granda corda esticada, nenhum deles quer seguir pelo caminho sem curvas.

"As palavras de um poeta, por mais belas que sejam, nunca surtirão em outro poeta as mesmas emoções."

O coco tem a casca tão dura, pois tem medo de dar o outros seu sangue, seu alento, não quer deixar seu tesouro a deriva, não quer machucar-se.


"Pelo poder da verdade, eu, ainda em vida, conquistei o universo."
Não, não se trata de enganar o diabo. Se trata e enganar a si mesmo
O pecado que não deve ser julgado, o pecador que não deve ser punido...
"Nada é real até você sentir"

a morte e a dor agora são reais?
Quanto mais perto do fim chego, mas certeza tenho de que tudo é em vão

Geass

"Solidão é seu verdadeira amor
E talvez seu único aliado..."


não há um enganado amor para lamentar, não há uma perda sem valor para chorar
não tem nem um cigarro para fumar ou algo para se embebedar
no final, o que sobrou de mim é apenas um vasio...

palavras não fluem mais pela minha pena
nem lágrimas rolam por meu rosto
apenas um cansaço pelo nada se faz presente


desisto... não consigo mais escrever nada, parece que a fonte secou.
as aulas vão voltar, e mais uma vez vou mergulhar num mar de almas que vagam sem sentido, mas felizes... o preço por querer ser livre é a solidão...

Há pessoas com talento...

"Olho para trás e noto as marcas das minhas pegadas recém- deixadas sobre o chão.
Olho novamente e as vejo distantes de mim, tão longe que me pergunto se sou eu que estou longe delas, ou se sou eu que estou longe de mim."
Tháis Bontempi.



Perguntaram ao Dalai Lama..."O que mais te surpreende na Humanidade?"

E ele respondeu:

"Os homens... Porque perdem a saúde para juntar dinheiro, depois perdem dinheiro para recuperar a saúde.
E por pensarem ansiosamente no futuro, esquecem do presente de tal forma que acabam por não viver nem o presente nem o futuro. E vivem como se nunca fossem morrer... e morrem como se nunca tivessem vivido."
"Seja a mudança que você quer ver no mundo."




...E outras que simplesmente enrolam, enrolam, e ainda recebem elogios ^^

Carpe Noctem

"Tomemos cuidado para que nossas vidas não se tornem como uma quadrilha, para que nós não andemos sempre em círculos e paremos sempre a cada obstáculo..."

Isso faz sentido...



Um baita tédio aqui... o frio não me deixa pensar direito (sim, eu penso... só as vezes, mas penso!)...
Acabei achando (Leia-se: caiu na minha cabeça quando abri o armário) um bloquinho antigo que achei q tava com minha professora ^^


"Somente os loucos podem amar
Pois os Sãos sabem que a vida é apenas caminhar sem nunca tropeçar

Somente os loucos podem odiar
Por que os Sãos sabem o preço por pensar

Somente os loucos podem pensar
Pois os Sãos sabem que os fortes devem ditar suas vidas

Somente os loucos podem desobedecer
Pois os Sãos sabem que ser normal é ser igual

Somente os loucos podem se apaixonar
Pois é loucura amar alguém
A ponto de odiar, de desobedecer, de pensar e de ser...
Normal"

Enfim, a verdade

É... Parece que uma hora ou outra a festa acaba...
Mas as vezes o fim não é tão bom quanto o começo...
Quando o fardo de carregar tantas personalidades fica incarregável, o que nos sobra é voltar à origem...
Descobri, em partes, o porquê do agora... Precisei de todo esse caminho para descobrir apenas o que eu tentava esquecer: sou um ser vazio, solitário. Algo que nunca conheceu os prazeres básicos de ser um humano, a amizade e o amor.
No passado eu busquei a amizade e o amor, e acabei encontrando apenas um caminho de falsos sorrisos, fabricados pelas bebidas, jogos ou drogas...
Hoje sei que também sou humano... Isso sempre soube, mas sempre fui, para mim, superior. Amizade e amor eram palavras sem significado, eu era um "ser superior"... Agora o que me resta dessa imagem é a mesma falta de capacidade de amar, mas com a certeza de que não sou superior, ao contrário, sou um ser que nunca conhecerá a felicidade plena, a felicidade que não seja emulada...



"Quando a vida lhe esco…

Dia de tédio

O que fazer quando se tem tédio?
Está tudo simplesmente vazio. Chato. Sem sentido...

Talvez eu pense em algum tipo de suicídio... ou então saia de casa e vou fazer algo para tentar esquecer meu sofrimento...

Caminhos...

Não sei mais por onde continuar.
Ver a verdade dói.

As pessoas não são descartáveis. Elas têm sentimentos, bons ou ruins... Vontades e necessidades.

"Você tem que SE sentir feliz
E não olhar as pessoas
Elas...
Não ficam pra sempre"

Algumas pessoas oferecem ajuda. Ipocritamente.
Querem apenas se comportarem como boas pessoas, como quem ajuda os amigos perdidos...
Mas apenas me deixaram mais confuso...

"Não vejo mais um estrada à minha frente
E a porta do passado está trancada.
Por onde estou a seguir sei que me leva ao sofrimento
Mas prefiro viver e sofrer, do que sofrer sozinho"
Alguém lá de cima olho pra mim e falou: Se fode ai

...

não posso mais ser eu mesmo, por que esqueci de como ser eu mesmo.
mesmo entre aqueles que se dizem meus amigos, nenhum deles entende oq quero de verdade, qual é meu objetivo, afinal

lágrimas correram dos meus olhos. uma, pela vida vazia. duas, pela pessoas vazias...

Almas vasias

É triste olhar para trás, para as pessoas que você se lembra quando tenta lembrar dos momentos bons de sua vida, e ver que sua sombra deixou de existir, você é, talvez, uma simples lembrança esquecida, ou nem isso...
Mesmo sabendo que é inevitável, me corta o coração lembrar que esta será minha sina, meu passado e também meu futuro...




"(...) meu sorriso desaparecera totalmente, diferente de quando estou na frente de outras pessoas."
Você foi minha luz
Meu caminho trilhado
Caminhos este, talvez errado
Você é a imagem de tudo que sonhei
O ápice de tudo que vivi
Talvez até mais do que desejei...
Você será também meu algoz
Desejando ou não, este é o seu destino
Compartilhado por mim, perguntarei
Você se importaria se eu tentasse?

Os ultimos vasos a se quebrarem...

"Os humanos podem ser comparados a vasos, meu amigo...
A vasos belos e delicados, mas que se quebram facilmente, e vasos feios, rudes, grossos e duros, que resistem a quase tudo...
Esses que olhamos, nossos amigos, são vasos de vários tipo, mas, comparado a nós, são os mais belos e delicados possíveis.
Eu sou um vaso grego... Soterrado por lembranças, com algumas rachaduras, mas tão antigo quanto essa sociedade... Enquanto você é uma argila dos primeiros humanos. Você será a ultima lembrança para a próxima geração...
(...)
Quando todos eles se forem, seja pelo destino, seja pela morte, estaremos nós, aqui, sentados e conversando juntos sobre as lembranças... E quando eu me for, você será minha ultima lembrança, a ultima prova de que todos nós existimos..."

Noite na Taverna

Macário: Onde me levas?
Satan: A uma orgia. Vais ler uma página da vida, cheia de sangue e de vinho
Macário: Eu vejo-os. É uma sala fumacenta. A roda da mesa estão sentados cinco homens ébrios. Os mais revolvem-se no chão. Dormem ali mulheres desgrenhadas, umas lívidas, outras vermelhas Que noite!
Somos apenas poeira neste grande universo. Temos pouco tempo para experimentar tantas maravilhas que podemos.

Viva! Não se julgue por ser quem se é, não se arrependa de experimentar tudo que tiver vontade, não deixe nada para trás que se possa olhar e dizer: ali eu não vivi, pois segui por caminhos conhecidos.

Não se arrependa! Nunca se esqueça que estamos apenas de passagem, podemos partir a qualquer segundo... Sem glórias, sem lembranças, sem receios.

"Partirei cedo. Abandonarei-te aqui para que entendas. Os anos que não vivi, preso a convenções como as tuas, eu compensei nos últimos dias.
Não chore. O beijo da Morte recebi, mas dele aproveitei! Minha vida por tua castidade, bela e sádica anja!
Bebi das águas da Melancolia, fumei as flores roubadas do Elísio, joguei com os dados rolados por Deus em sua partida contra o destino. Desta curta e vazia vida pude aproveitar, mesmo que ainda leve receios para o Ébano...
Quero que vejas além de sua vida, e entenda que partirei feliz, apenas …

Vida

"A vida é uma peça de teatro que não permite ensaios. Por isso, cante, chore, dance, ria e viva intensamente, antes que a cortina se feche e a peça termine sem aplausos."

Carlos Drummond de Andrade

"Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo,
mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma
força consegue destruir."

Tédio

"Não sinto mais prazer pelo que sentia, não desejo mais aquilo que queria... Não há nada mais para mim neste mundo"

Nem o tédio me surpreende mais... Minha vida está ficando cada vez mais vasia.
As músicas que tanto amava agora é motivo de dores de cabeça
Os alimentos que gostava me dão ancias só pelo cheiro
Os programas que assistia agora me são tediosos
O prazer que sentia não sinto mais
Os desejos que tinha agora me são vasios
Os poucos sonhos que ainda me sustentavam agora não importam mais
Nada mais me importa, nada mais me é caro, nada tem sentido para ser feito. Vivo agora por um simples segundo, ou por vários. vivo pela embriagues do esquecimento, que ainda não me chateia. Vivo... ou talvez nem isso mais fasso, apenas um corpo sem alma que caminha pocurando uma cova funda o suficiente para o levar ao inferno, para poder procurar por sua alma...

Gungrave

"Eu queria dizer para o meu velho eu que, para proteger alguém, devemos sacrificar nossa própria vida. Mas para isso, nunca se deve traí-lo."

Brandon Heat

Esperanças

Este corpo vasio e sem alma
Sem sonhos ou anseios
Perdido entre desejos de uma alma morta
E um corpo sem vontade de viver

Olhos opacos a fitar o futuro
Um futuro de meiores medos e desilusões
Os mesmos olhos que fitam a luz
Que olham para o céu e não o encherga azul

Uma boca escancarada
Em um grito silencioso de socorro
Ou talvez de perdão
Perdão por todas as pelavras não ditas

E braços afrouxeados, tombados rente ao corpo
Braços fortes, que não desejam mais abraçar as estrelas
Pois os olhos não mais podem vê-las
E a boca não pode mais chamá-las

Um corpo morto por dentro
Olhos, boca e braços inúteis
Nada a fitas, nada a sentir, nada a possuir
E uma alma negra e vasia, sem sonhos ou esperanças

As cores morbidas e belas de nossas vidas

No caminho não vejo flores
Apenas galhos secos e mortos
E a paisagem cinza de nossas vidas
Esse cinza, morbidamente belo
Sempre a nos abençoar
Com pesadelos vívidos
E sonhos vasios

Gatos

"O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer.
Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.
Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.
Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência."
Trecho de Ode ao Gato, escrita por um homem que ama gatos: Artur da Távola.

Augusto dos Anjos, O Poeta do Hediondo

Sofro aceleradíssimas pancadas
No coração. Ataca-me a existência
A mortificadora coalescência
Das desgraças humanas congregadas!

Em alucinatórias cavalgadas,
Eu sinto, então, sondando-me a consciência
A ultra-inquisitorial clarividência
De todas as neuronas acordadas!

Quanto me dói no cérebro esta sonda!
Ah! Certamente eu sou a mais hedionda
Generalização do Desconforto...

Eu sou aquele que ficou sozinho
Cantando sobre os ossos do caminho
A poesia de tudo quanto é morto!

O Nosso Amor a Gente Inventa (estória romântica)

O Nosso Amor a Gente Inventa (estória romântica)
Cazuza/Rogério Meanda/João Rebouças

O teu amor é uma mentira
Que a minha vaidade quer
E o meu, poesia de cego
Você não pode ver

Não pode ver que no meu mundo
Um troço qualquer morreu
Num corte lento e profundo
Entre você e eu

O nosso amor a gente inventa
Pra se distrair
E quando acaba, a gente pensa
Que ele nunca existiu

O nosso amor a gente inventa, inventa
O nosso amor a gente inventa, inventa

Te ver não é mais tão bacana
Quanto a semana passada
Você nem arrumou a cama
Parece que fugiu de casa

Mas ficou tudo fora do lugar
Café sem açucar, dança sem par
Você podia ao menos me contar
Uma estória romântica

O nosso amor a gente inventa
Pra se distrair
E quando acaba, a gente pensa
Que ele nunca existiu

Desistência

Quem no mundo ouviu o afã
de um ser imundo
e por um segundo esqueceu-se
de que ele sujaria o divã
Quem no mundo amou a cortesã
amargurada e sofrida
por um segundo esqueceu
que ela era violada
e por isso parecia aflita
Quem no mundo teve sentimento
no momento em que viu
o sentimento do mundo
Quem no mundo não se sentiu violado
por seres comuns
se sentiu derrotado e amarrotado
vestiu as roupas e fingiu se recompor
Quem no mundo abre o seu amor
Para que lhe diz de sua dor
Não sabemos amar, nem sermos amados
Portanto recolhamos nossos pedaços
Deixemos os cheiros na cama
E sem fazer drama
Retiremos do recinto nossa carcaça
Ainda confusa se foi prazer
Se foi desgraça

Quando os sonhos terminam

Quando os sonhos terminam. Apaga-se uma luz e você deita as lágrimas no travesseiro. E você está cansado. Cansado, essa poderia ser a palavra que te definiria nos últimos meses. Parece que chegou num estado onde as saídas se fecharam e não há mais motivos pra se seguir adiante. Você não vai se olhar no espelho. Seu rosto está perdido entre suas roupas velhas guardadas no armário novo. Você já não sabe mais o que te pertence, essas mãos que agora não puxam violentamente, mas apenas sentem a presença dos fios de cabelo espetados em seu doces pensamentos, são apenas uma extensão do seu peito. Onde você está agora, perdido em meio ao concreto inabalável em que construiu sua presença diante da vida? O que você vai fazer quando secar a dor e entre uma fresta e outra surgir o sol ? Você vai esmurrar a parede ou vai ficar parado buscando uma nova dor para enfim fechar de vez todas as frestas ? Escolha. Permita-se.

Verdades hipócritas, mentiras absolutas

As vezes, temos que agradecer todos nossos desamores. As vezes, passar de desejo à despreso.
Veja, se não me deparo com duas verdades? "Aprendi que as pessoas não pertemcem a ninguém", "Foda-se os outros que querem saber dos meus problemas... Mas dessa vez realmente amo". Verdades absolutas ou mentiras hipócritas?
As vezes uma pessoa que você deseja seguir te decepciona. Outras, pessoas que você nunca diria serem exemplos, se mostram mais profundas que o oceano.
Mesmo não sendo boa pessoa, ainda é meu amigo. Mesmo sendo uma hipócrita, ainda a desejo.

Nunca se esqueca daqueles que o cercam.

Uma semana

As vezes fico pensando (sim, eu fasso isso, raramente mas fasso) como os olhos de uma pessoa dizem tanto delas... os olhos são a janela da alma, e por eles enchergamos a alma pura e crua de uma pessoa.
Conhesso muitas pessoas, muitos olhos diferentes. Olhos de dúvidas vasias, olhos solitários, olhos bobos, olhos inesplicáveis, olhos felizes, olhos ambiciosos...
Mas ninguém nunca tinha me chamado tanto a atenção antes... Minha alma é vasia, pura e simplesmente vasia. Não se vê sempre olhos vasios.
Acho que foi por isso que a dona desses olhos tão belos e vasios me chamou a atenção... talvez tenha sido apenas isso, mas foi o suficiente para me fazer pensar. O que leva uma pessoa a ter a alma vasia, afinal? Não me lembro mais... apenas sei que duas almas vasias nunca poderão estar junas, uma nunca conseguirá preencher a outra.
Isso dói, e me faz pensar se nossa semelhança não foi apenas outra desculpa que achei para me torturar mais...

Quando Glichês Não São Pilares

A muito "Família" não representa uma base para mim. Este lugar chamado "Lar"
não é tao doce quanto o ditado diz. Brigas, ódios não ditos, ciúmes egoistas, intolerâncias, imcompreenções... A "Família" é algo a ser tomado como um exemplo que não deve ser seguido. O "Lar" é um local amargo, tomao por mentiras e entrigas.
O que seguir então como um "Modelo"? Se a instituição que deve ser o pilar de nossas vidas está rachada, podre, pronta para ruir, em que devemos nos segurar?
Não sei se encontrei resposta, mas ja desisti de tentar concertar tudo. Meu "Querer" não se tornou "Poder".
Essa é a "Familia" enraizada em minha alma, esse é o exemplo de "Lar" que levarei por toda a vida...

Há pessoas que não entendem...

As vezes me bate um peso na consciência ao saber que a verdade machuca alguém...
Mas depois lembro por que de ser verdade. Se a verdade machuca, é por que se faz por merecer!
Não adianta chorar pelo passado. Se erramos, temos que continuar andando e concertar nossos erros.
Mas algumas pessoas se acham perfeitas. Acham que temos que concordar e aceitar tudo de bom grado, aceitar as humilhações, as decepções, as intolerâncias delas e sermos gratos por isso.
Há pessoas que não entemdem. Simplesmente são, e sempre serão, inflexiveis, querem estar certas, mesmo que para isso as outras pessoas tenham que sofrer...
Sou apenas humano, não sou perfeito. Mas sou sábio o suficiente para entender que errei...
Maldito dom tenho de acordar na hora errada;
Bentida maldição de escutar mais do que quero, menos do que peciso;
Amado sofrimento de se ver mais uma vez fingindo ser oq não se é;
Adorado poder de sofrer por erros alheios...

Mais uma vez pagarei por erros de pessoas que não se importam com minha opnião, que não sabem se conter...
Acho que você diria "você é um idiota, augusto" se estivesse falando comigo... Talvez se desdenharia um pouco e me deixaria com mais raiva e triste do que conseguiram me deixar...
Mas não me importaria. Nada me importava. Todas as suas "brincadeiras", todas as nossas discussões, tudo que eu fiz por você mesmo não querendo...
Apenas um dia ruim, algumas palavras insignificantes que geram um ciclo de palavras... E palavras são erros, afinal...

"Eu amo os gatos, mas no fundo sou um cachorrinho adestrado, segurando a coleira na boca enquanto te olho e abano o rabo: me leve para passear, me dê atenção e ração. Farei tudo que você me pedir, darei m…

Até Nunca Mais

sei lá, não tenho oq escrever...
mas eu quero escrever, quero colocar pra fora algo que está aqui dentro mas não sei oq é...
eu tenho medo, sinto dor... mas no final é apenas tédio, ou uma simples desculpa.
me bateu uma saldades de certas pessoas hoje... todos erram, eu não sou exceção... errei ao julga-las, errei nas palavras ditas, errei nas minhas atitudes...

a única coisa que não posso desculpar é ferir aos outros, ferir a alma contando mentiras, sendo oq não se é...
mas desse pecado também fasso; mechuco a mim mesmo mentindo as outras pessoas... as vezes me pego olhando para dentro, e vendo apenas o vasio...

a diferença entre força de vontade e auto estima é que a primeira nos ajuda a sair do poço, enquanto a segunda nos mantém fora... eu tenho a primeira, mas tantas vezes refazedo caminhos está desgastando-a...

pedir desculpas não adianta, não é? se vc precisava ficar sozinha não precisava usar meus erros para me afastar, e me machucar... era só ter pedido que eu faria todas as suas vo…

Um fim

SuicídioO corte.A dor.O sangue escorrendo.A esperança perdida,o amor acabado,sentimento em vão.A derrota,a falta de vontade,vontade de viver.O querer,querer da morte!Depressãonada mais resta..apenas,nostalgias...Sentimentos que não se foram,sentimentos que não se vão tão cedo.Saudades daquele tempo,em que você me "amava".Vontade de voltar pra trás,e não ter caído nessa armadilha...que é o amor.a cena torna-se repetitiva...o corte, a dor, o sangue,passando pelo pulso, escorrendo pelo chão.Mas dessa veza morte...de repente, num súbito pensamento...de Adeus!O grito de socorro,O tombo no chão,ainda sangrando...vejo a morte em meus olhos.O último suspiro,o último desejo,de te dizer...EU TE AMEI!e morri te amando...Andressa C. Donato
não sei oq escrever... só queria escever... isso era uma terapia, algo para extravazar toda a minha raiva e desilusão... mas agora é só mais uma coisa em minha vida que poucos conhessem...
talvez desde o inicio tenha sido isso... afinal, ninguém nunca ouviu meus gritos de desespero, minhas lamentações, ninguém sabe afinal quem sou, nem eu mesmo...
afinal, isso me é comodo. minha alma busca penitência pelo desconhecido, por tudo que não tive coragem de fazer, por todas as pelavras não ditas, por tdos os gestos não feitos... uma penitência, talvez, por minha hipocresia. sou uma pessoa diferente para cada pessoa que conhesso. ou talvez seja apenas uma parte de mim que apresento a cada um.
queria gritar para todos ouvirem, me declarar para quem pensei ter amado, ter errado mais, mas ter vivido. mas ao mesmo tempo gosto deste modo em que vivo, tentando por um ponto final nessa história, mas de um geito que gerasse dúvida, de algum modo que ninguém me esqueça...
tenho medo do vasio, do silêncio…