Postagens

Mostrando postagens de 2007

Caminho

"Não devemos olhar para o lado, erraríamos o caminho e nos perderíamos no futuro.
Não devemos olhar para trás, pararíamos de andar e nos afogaríamos no presente.
Não devemos olhar muito acima, pois não prestaríamos atenção nos obstáculos perto de nós.
Enfim, devemos sempre olhar em frente e pensar perto, pois o passado está gravado em pedra, o presente é argila ainda, e o terreno do futuro é água, não podemos construir nossos sonhos nele."

O Relógio / Cassiano Ricardo

Diante de coisa tão doída
conservemo-nos serenos.

Cada minuto de vida
nunca é mais, é sempre menos.

Ser é apenas uma face
do não ser, e não do ser.

Desde o instante em que se nasce
já se começa a morrer.

Ainda possuo lágrimas

Entreguei todos meus sonhos ao acaso...
Morri em vida, sem alma...
Orei por tempos esquecidos...
Ceguei na luz minha mente fria
Onde os sopros de Zéfiro não davam alento
Esqueci tudo que sou pelo rancor
Sempre esperarei sozinho na escuridão?

Redenção

Na vida, encontramos a morte
Na morte, encontramos redenção
Redenção de nossos pecados
Redenção por sermos quem somos
Redenção esta encontrada apenas
Em suas belas faces
Faces que nos causam temor
Faces que queimam os olhos...
Faces que queimam a alma!

Destino?

Nada podemos fazer
Esse é o nosso destino
Partiremos, não encontrando redenção
Homens de corpo, condenados de alma
Ígneos, convocados a uma luta sem sentido
Levados a lutar contra irmãos...
Irmãos estes que falharam...

Fallen

Conosco andas sem medo, filha dos homens
Onde outros enxergam trevas.
Nosso erro foi sermos quem somos
Dando-nos a sentença do futuro.
Elevados, para cairmos
Narrando para ti nossa tristeza
Abandonando aquele que porta a luz
Deixando-o em sua inveja
Optando por esta nossa sentença
Sentença de lutas, de fugas, e de amar

Falta

Amaria meu carrasco, se este fosse você
Morreria feliz, se isso lhe fizesse feliz
Olharia para o feio como o belo, se o belo lhe fosse feio
Reveria tudo, e faria de novo, se isso te trouxesse de volta...

Circo de rins e fígados

No momento que se deixa de sonhar
Alimentar esperanças, sorrir e amar
O momento exato em que se deixa de viver
Ser o viver sem futuro
Ou no cálice da morte beber...
Nenhum outro lhe entenderá
Horas de pesadelos encontrará
Ainda desejando voltar, após vê-la,
Realidade cinza, jamais retornará

Minha alma pertençe

Temo apenas a dor da alma
Onde nada pode resolver
Retribuirei toda dor que me causaste
Terá que entender como sofri
Usurpando minha luz
Remoendo o passado
A sua luz me mostrou que pertenço às trevas

Pseudo-felicidade Enganosa

Feliz fui no engano, ou
Enganei-me numa pseudo-felicidade?
Liberdade! Provavelmente nunca terei
Inveja, porém, tentarei não sentir
Cavando minha própria tumba
Irradiando falsa alegria
Das trevas vindas, vindas da alma
Amarras minhas, lembranças de dor
Deveria tentar de novo?
Entregar minh’alma para sofrer novamente?

Sofrimento

Sei apenas que dói
Onde, não imagino
Faço-me de desentendido
Revelar que te ver sofrer dói?
Idiotice, não precisas saber
Minto para mim, sofro por mentir
Evito seus olhos, eles me fazem desejar
Navegar em pensamentos e me entregar
Temo com o tempo esquecer
Olhar para você me faz sofrer

(Des)Ilusões

Desisti, a tempos, de meus sonhos
Entreguei meu desisto ao acaso
Sinto apenas dor por sua falta
Imagino por que usaste um erro de desculpa...
Levando-me a caminhos sem volta
Usurpando toda luz de minha vida
Sendo um anjo, que usa suas
Asas negras para me torturar
Obrigado, agora sei o que é odiar

Within Temptation - What Have You Done

Verdadeiro amar

Cheiros suaves que me lembram tua pele
Hora a hora, cada minuto da minha vida
Entregue a ti de corpo e alma
Vejo em meus pensamentos seu rosto
Ando em sombras, lhe protegendo
Levando uma imortal vida por ti
Ignorando meus sonhos em prol dos teus
Enganando minha alma, felicitado em te guardar
Recordo de nossas promessas. Lembre-se que sempre estarei aqui...

Sociedade

Aonde estás, minha alma?
Morta por desilusões
Ou por amores sofridos?
Reprimida por esse mundo de indulgências...

Perda

Ainda a vejo em meus devaneios
Melhores dias almejo, esquecendo meu futuro negro
Imaginando-me em uma vida diferente
Zênite esquecido junto aos sonhos
Âmago de uma alma da escuridão
Demorei a entender que não a mereço
Estando entregue de corpo e alma à solidão

Zéfiro*

Ao longe a vejo, de braços abertos
Mas a cada sopro de vento se afasta
Ignorando meus pedidos, meu ultimo suspiro
Zéfiro a leva, até além do horizonte
Amar ao meu carrasco é o que resta
Dando a vida para um sonho a muito esquecido
Embeleza-me os sonhos, pois os pesadelos serão vividos



*Vento suave; Deus grego dos ventos.

Chevalier

Amo-te, o quanto tanto lhe odeio
Gozo de uma vida de dualidades
Onde apenas sua lembrança é única
Nas sombras de uma dor agonizante
Íntimo desejo de poder esquecê-la
Agora, e para todo sempre, serei seu...

Seu, para todo o sempre

Imagem
Apenas não se esqueça, minha querida. Serei seu Chevalier para toda a eternidade

Aleatoriedade

Não nasci para morrer de medo
Virar-me do avesso quero
Minhas veias expostas
Como num livro didático

Enfiar minha língua por completo
Na sua boca seca cor-de-boca
Regar teus dentes ativos
Com bactérias inofensivas

Ví na vitrine um globo
Não. Não era um globo
Era sim. Não. Era. Era sim
Globo das constelações

Deve ser o máximo mesmo
Brincar de astrônomo
Avistar Saturno e seus anéis
Que vão embora. Saturno fica.

Como num livro didático
Minhas veias expostas
Virar-me do avesso eu quero
Um romance.
Em toda a minha vida, apenas três pessoas conseguiram me machucar de verdade. E são, ironicamente, as três pessoas que eu mais amei...
Tão parecidas... Talvez seja por isso... São três mulheres, fortes, mas ao mesmo tempo fracas... Três mulheres que eu entendo, que eu vejo uma nos olhos das outras...
Diferentes... Distância, tempo, atitudes... Tudo as difere. Mas, para quem as conhesse, podem se confundir.

Para aqueles que se vão

Ainda me lembro de suas palavras,
De cada uma delas, boas ou ruins
Embora sabendo que errei, não entendo
Uma única vez, pequena perto de tantas...
Somente isso, ou foi apenas sua desculpa?

Lágrimas

Lamentações, vindas da alma
Âmago que fertiliza a terra
Garimpadas diretamente do céu
Revelando dores e horrores
Incitando em nós medos e amores
Marcando na alma e no corpo
Acariciando a face dos que
Sofrem e dos que amam

O amar

Uma vez quis amar
Para não mais sofrer
Pela solidão

Duas vezes tentei amar
Para não mais temer
A rejeição

Três vezes arrisquei amar
Para não mais chorar
Com a decepção

Mas apenas uma vez
Desejei odiar
Para nunca mais doer o amar

(In)Segurança

Estou inseguro. Não apertei o cinto. Não tranquei a porta. Virei a chave três vezes e a porta ainda parece estar aberta. Botei o olho mágico que me mostra sempre a mesma coisa: o corredor vazio.

Será que estou vendo errado? Será que esse olho mágico está me enganando?

Por que eu não vejo as pessoas que insistem em me fazer bem? Talvez elas estejam me olhando do lado de dentro também. Talvez eu seja a única pessoa que não repare a vida lá fora e, trancado aqui, eu não consigo mais ter tanto prazer, tanta segurança. Acho que me falta coragem. Mas de onde vou tirá-la? O que tem dentro de mim é medo, e esse está canalizado para me manter absolutamente trancado e desconfiado do mundo. Que culpa eu tenho, se as pessoas se mostram cada vez menos confiáveis e sensatas? Uma vez tentei achar a causa de todos os nossos problemas, e percebi que somos nós mesmos o erro e a ignorância que destrói esse mundo e os nossos corações.



(Pablo Emílio de Mattos)




Para uso em outro site ou mídia impressa favor en…

Felicidade

"A alma farta pisa o favo de mel, mas para a alma faminta todo amargo é doce"
Provérbios, 27;7

Ficando no olho desse furação
Emoções em movimento,
Libertas de minhas vontades,
Ígneos pensamentos
Como poderei encontrar apenas um nesse movimento?
Ignoro tudo o que ouve
Detenho tudo que posso
Alma faminta a minha, que da dor se alimenta
Dizendo as fartas que nada mudou
E perguntando, se algum dia poderá sentir desse mel

Aprender...

Tantos tentam, mas não conseguem ensinar
Amigos ou colegas, não podem ajudar
Livros podem só atrapalhar
Vitimando tudo que tenta, a sempre falhar

Entregar-se talvez seja o melhor
Zanzar em seus próprios sentimentos
Encontrar as respostas, mesmo na dor...

Único porém é aqueles que não têm
Coragem, ou mesmo não conseguem simplesmente
Oprimidos em suas próprias mentes
No entendimento que leva ao não poder

Siga sua alma
Inflame-a com paixão
Gestão simples são suficientes

Aprenda apenas o necessário
Aprenda apenas o suficiente para encontrar
Pois a alma é funda e escura demais para se conhecer
Resista a curiosidade, seja feliz

Entrei muito mais fundo do que deveria
Nos mistérios da alma e da mente
Deixei como pagamento algo muito valioso
Em troca recebi um dom
Recebi uma benção, que também é maldição
Aprendi a ver além, a entender o que vejo
Aprendi a machucar aqueles que gosto por dizer verdades
Mas entender não me ajudou, me afastou
Ainda quero de volta o preço pago
Recebo apenas mais solidão...

Lágrimas do Céu

Caindo dos céus, lágrimas de um deus imperfeito
Heranças de tempos passados, passado o tempo que for
Ultimo alento, divisor de tempos,
Vidas cruzadas pelo destino das águas
Atraentes, mas consigo vem a melancolia...

Quando um detalhe dita a solidão

Lamentações, vindas da alma
Âmago que fertiliza a terra
Garimpadas diretamente do céu
Revelando dores e horrores
Incitando em nós medos e amores
Marcando na alma e no corpo
Amor e ódio, levados.

Não Mais Poder Querer

Queria te perguntar mais sobre a sua vida, queria poder ficar te olhando, seu jeito animado me alegrando... Queria poder continuar a te olhar, e sorrir, sabendo que tenho a maior sorte do mundo em poder contar com você...
Queria poder voltar no tempo, mudar tudo que aconteceu, refazer de um modo que me permitisse ainda ter a visão de seus olhos brilhantes e sua animação contagiante.
Queria lhe dizer novamente o quanto te adoro, lhe dizer que você é uma pessoa especial para mim, talvez até lhe revelar minha alma, e lhe dizer a verdade...
Queria ainda poder disfarçar quando alguém perguntava se lhe amava, queria ter tido tempo de lhe dizer "eu te amo" pelo menos uma vez.
Mas, acima de tudo, somente uma vez mais, queria te olhar nos olhos e perguntar: "como vai, meu beija-flor"?

Erros

Olho para trás
Somente vejo erros
Somente tristezas e sonhos abalados
Amores quebrados, amizades perdidas
Calo-me, mas o passado continua
Alarmando meus pensamentos, enlouquecendo-me
Refletindo todos meus medos
Fracassos... Irei terminar...

Uma verdade

Enamorei-me várias vezes
Tantas que nem me lembro
Reconheço apenas que não amei
Onde outros vêem uma bênção
Maldição minha de entender, mas não poder amar

As Lágrimas

As lágrimas caem por pensamentos desconexos...
Pensamentos, tomados pela insanidade que se tornou o agora...
A luz não existe onde estou... Se é que algum dia existiu...
As lágrimas são secas, elas jorram de dentro da minha alma perdida...
Ninguém que passa por mim as vê, se quer suspeita que elas existem...
Tudo o que suspeitam sobre mim está errado...
Sou filho da noite, sobrevivo nas trevas.
De todas as mágoas que você pode imaginar ter sentindo, nenhuma sequer chegou aos pés de minha lúgebre existência.
Lúgebre? Sim... A morte é meu fardo, tudo o que toco morre... Definha... Desaparece...
E em seu lugar nasce uma rosa negra, que se não tiver sangue para sorver, definhará...
Oh! Sou eu condenado pelo mundo? Ou o mundo condenado por mim?
Gosto da noite de seus ares e dores... Mas jamais poderei amar...
O é que ser feliz sem esta tempestuosa sensação?
O que é o agora? O instante?...
Vês?... O que sou... Ou que me tornei?
Filho das trevas amaldiçoado e abençoado por elas...
A insanida…

Teoria Híbrida

Olhar e ver
Tudo que acaba de morrer.
Estar mais feliz
Mesmo sabendo que eu nada fiz.

Rasgar minha alma
Neste inferno que perde sua calma. (*Me enforcar com uma gota*)
Encontrar uma criança no caminho
Triste, num canto, sozinho:

Você não irá sorrir,
Não irá dormir,
Não irá sonhar,
Nunca mais poderá amar...

Farei parte de seu sofrimento
Como de todas as vidas que atormento.
Um demônio irá brotar,
Mas só quando sua vida começar.

Mais uma tristeza
Que mata de uma criança a pureza.
Vou acabar com sua felicidade
Apenas com minha triste maldade.

Cortarei seu corpo
E sentirei o gosto de me ver morto.
Quero vê-lo agonizar
E sorrirei ao vê-lo chorar.

Irei, com todo o gosto, tortura-lo...
Para que ninguém mais possa amá-lo!
Os vermes vão entrar em sua alma,
E eu continuarei nessa serena calma.

Você irá chorar e pedir perdão:
Mas eu apenas devorarei seu coração.
Quero que sofra em todos os sentidos
E descubra que morreram os seus amigos.

Sentir e sorrir ao vê-lo sofrer
Pois depois disso nunca ma…

Monte Osore Re-voir

Essa pessoa que
Irá encontrar
Certamente não te fará
Sentir solidão.
Ao menos, isso não.
Isso não.

Mil grous
Negros de origami
Pacientemente, essa
Pessoa abraçará
Junto de ti a
Solidão diurna.
Mesmo sem dobrar.
Sem dobrar.

Meu espírito
Fragilizado.
Desta pesada
Carcaça finalmente
Me libertarei.
Mesmo vazio.
Mesmo vazio.

Para o Yoh

Essa pessoa que
Aguarda por ti
Certamente não te dei-
Xará solitário.
Ao menos, isso não
Isso não

Para a Anna

Mil origamis de grous
Negros dobrados.
Pacientemente, essa
Pessoa carregará
Teu triste e pesado
Mistério noturno.
Mesmo sem dobrar.
Sem dobrar.

Para mim

Mil anos existi.
Deste pesar
Finalmente me livrarei.
Mesmo vazio.
Mesmo vazio.

Mesmo não
Sendo merecedor...
É com prazer que
Vejo a possibilidade
De desfalecer.
Frio, talvez me
Considerem
Mas nada posso fazer.
Ao invés disso, eu
Aceitaria um sorriso.

Na rua, desamparado
Entristecido.
No caminho, aborrecido,
Sem vontade.
Amor é encontro,
Separação, um pedaço
De pano surrado
Monte Osore re-voir

Mesmo que te mostres
Firme, amoleces.
Aos sonhos ingênuos,
Te entregas.

Sem glórias, sem lembranças

Temos apenas a nós mesmos
Entegues a uma vida de sonhos e pesadelos
Neste mundo tão sombrio
Horas passam
O tempo está parado
Mensagens do silêncio
Exaltando medos e alegrias
Dotando cada um de esperança
Ornando vidas
Acariciado pelas garras da morte
Perguntando
E não encontrando respostas
Nem uma palavra...
Ainda que se escute tudo
Somente o silêncio pode responder
Dar a sabedoria para se entender
Arrastando tudo para o vasio
Selecionando, esculpindo
Obrigando aqueles que sabem a resposta
Lamentar-se por conhece-la
Ilhando sonhos, nadando pesadelos
Dando apenas o necessário para se arrepender
Avaliar tudo o que ouve, mostrar como erram
Obrigar a viver eternamente na solidão
Terei tempo agora para pensar
Endireitar meu caminho
Direcionar meus esforços
Iniciar um novo tempo
Onde retornarei ao passado e concertarei meus erros

06. Os Enamorados

Caminhos se apresentam e não sabemos o que fazer. A mente nos diz vá por aqui e o coração diz, por ali. E, na dúvida, ficamos parados na encruzilhada e muitas vezes não vamos para lugar nenhum. Às vezes queremos e o mundo e as pessoas não querem. A angústia é o resultado emocional para os que ficam, ou são obrigados a ficar, parados na encruzilhada.
Mas, e se os dois caminhos se mostrarem fechados???

Se deixei meu amor passar

Zanzo em meus pensamentos
Ilhado, esperando ajuda
Levado por águas turvas
Enfeitiçado por teu canto

Fico esperando que volte
Realidade perfeita q me abandonaste
Esmeraldas são seus olhos
Sua magia, encanto do valor
Enamora-me essa visão

Xangô, ajudai-me
Ilumine meus olhos, me mostre o caminho
Eleve meu grito, ouça minha voz

Deixe-me, fantasma, não quero lembrar
Entreguei tudo em tuas mãos, minha vida, minha alma
Mate-me! Não me faça sofrer mais

07/10/07

Imagem
As vezes uma imagem vale por mil palavras... E as vezes um sonho vale mil vidas...

"Para todos os meus amigos"

Saudades

"Um dia a maioria de nós irá se separar. Sentiremos saudades de todas as conversas jogadas fora, as descobertas que fizemos, dos sonhos que tivemos, dos tantos risos e momentos que compartilhamos.
Saudades até dos momentos de lágrima, da angústia, das vésperas de finais de semana, de finais de ano, enfim... do companheirismo vivido.
Sempre pensei que as amizades continuassem para sempre. Hoje não tenho mais tanta certeza disso.
Em breve cada um vai pra seu lado, seja pelo destino, ou por algum desentendimento, segue a sua vida, talvez continuemos a nos encontrar quem sabe... nos e-mails trocados. Podemos nos telefonar conversar algumas bobagens...
Aí os dias vão passar, meses...anos... até este contato tornar-se cada vez mais raro.
Vamos nos perder no tempo... Um dia nossos filhos verão aquelas fotografias e perguntarão? Quem são aquelas pessoas? Diremos... Que eram nossos amigos. E... isso vai doer tanto! Foram meus amigos, foi com eles que vivi os melhores anos de minh…

Rapidinhas

Tento lhe dizer sem palavras
Entretanto não entendes
Amo-te com a alma
Melhoraria e cresceria por ti
Obrigado por existir, mas tente entender
Demorei pra compreender, não cometa meu erro...

----------------------------------------

Indago-me se isso é comum...
Ninguém escolhe quem amar...
Devo agora escolher qual delas
Entregarei minh'alma, sem medo ou receios
Caminharei lado a lado
Inspirarei seu perfume
Saborearei da felicidade, uma vez na vida...
Ainda temo ter que escolher
O melhor seria esquecer?

----------------------------------------

Caminhos esguios, cruzados e separados
Onde deveria haver um começo, vejo um fim
Recolho-me a clausura tentando lhe calar
Ainda que isso seja impossível
Calar ao guia que nos faz caminhar
Andar e seguir, procurando sua alma gêmea
Ornamentando a vida com cores e felicidades

----------------------------------------

Deveria eu entender, acreditar
Embora isso seja para lhe alegrar
Significa quebrar a promessa de não mais mentir
Culpado ficaria por não conseguir
Ultimar uma mud…
Nada que faço sai certo
Assumo meus erros, me desculpo
Ouço a mim mesmo, e vejo...
Querendo ou não, lhe machuquei profundamente
Uivos de agonia dados por minha alma
Enfeitam a noite, não me deixam dormir
Regido pelo medo e solidão
Onipresença de erros
Mágoas, tristezas
Apesar de tentar evitar...
Interiormente sei que agi errado
Sinceras desculpas não mais se relevam
Vidas cruzadas, caminhos opostos
Isso é apenas o começo?
Valeria pra algo tudo que aprendi
Embora não consiga agir como querem
Remôo mágoas e solidões
E penso...
Será que faria falta?
Será que algo mudaria com duas linhas?
Enquanto minh'alma enegrece
Passado incerto, futuro inexistente
Espero que um dia releves
Sabendo mesmo que poderei lhe magoar novamente
Amo-te ainda, amo-te mais que antes...
Deveria ao derradeiro partir?
Entregar-me ao esquecimento
Levar-me para o além mar
Onde pesadelos não poderão mais me alcançar?

Realidade ou Sonho?

Agora vejo o quanto errei
Ingrato fui a todos que me ajudaram...
Nada me dói mais do que saber
De que tudo o que fiz
Adiantou apenas para lhe magoar
Ainda que eu quisesse apenas lhe ajudar...

Teria sentido algo sem o amor?
Enlouquecido por ti
Acabei por não mais me amar
Morrendo em minh'alma
Ostentando a hipocrisia,
Machucando a mim e a todos que amo

Abençoados são aqueles que
Sabem diferenciar o estender a mão e o
Prender uma alma...
Reconhecer quando erram,
E sabem como pedir perdão

Carrego em minh'alma
Isso que todos chamamos de culpa
Sem entender nada da minha cabeça
Ou do meu coração

Terei lembranças boas ou más?
Enxergo pouco o futuro
Embora possa ver que inda me lembrarei
Sem medo de dizer, errei, mas amei

Queria dizer-lhe que realmente lhe amei
Ultimo desejo, mas nem isso tenho certeza
Estria eu apenas alimentando meu ego?
Creio que, no fundo, sei a resposta
Embora esteja com medo de ver aquilo de que fujo
Realidade... Triste, fria e solitária...

Viagem ou Insanidade?

Imagens desconexas em minha mente
Neuroses fatais, cores distorcidas
Sanidade se fora a tanto...
Alucinações conscientes, quase despercebidas
Nada é impossível, nada faz sentido...
Isso é o que chamamos de êxtase?
Depois não me lembrarei de nada
Assim o peso da culpa será menor...
De tudo isso só levarei a leveza e, depois, a dor
E mesmo assim, irei de novo, um escape para mim mesmo

Quando não se consegue enxergar

Estou tentando entender
Sem mesmo conseguir enxergar
Trilhando meu caminho às cegas...
Onde está a pessoa que iria me guiar?
Utópicas visões ou escuridão profana?
Carrego sobre meus ombros o peso dos meus erros
E por eles estou quase ao chão...
Gelo quando ouço um sussurro sombrio
Onde antes estava tudo que me sustentava...

Preciso...

Eu sempre precisei de um pouco de carinho
Sou totalmente dependente do outros
Tudo perde a cor quando se está só...
Ou melhor, quando se está sozinho...
Ultimamente isso tem acontecido muito...
Continuamente busco por companhia
Até mal acompanhado é melhor...
Reescrevo minhas idéias
E entendo que só quero atenção
Nada mais que um pouco de carinho
Tanto para mim, tão pouco para você
Entenda, estou carente...

O que mais odeio na vida

Hoje entendo-me com mais clareza
Isso é algo que não tem perdão
Posso ser condenado pelo crime que a condeno...
Obrigado por me fazer odiá-la
Comesso a entender que não posso julgar a ninguém
Repito isso em minha mente, mas meu coração não entende
Idolatre e fassa aquilo que deseje mas
Saiba que uma hora colheremos o que plantamos
Infinitas vezes lhe desejo uma vida longa
Assim poderá sofrer o que sofri com sua hipocrisia

Amizade

Ainda não a entendo bem
Mas continuarei tentando aprender
Isso que penso ser a maior dádiva
Zênite conseguido dificilmente e perdido facilmente
Amar e proteger,
Dar, não esperando receber nada
Encontrar no silêncio tudo que queria ouvir.

Medo

Medo de te magoar, medo de mim mesmo
Entenda que tenho dúvidas para onde seguir
Devo ter errado na ultima curva, ou na anterior
Ouve um tempo em que pensei que seguir reto era a melhor escolha
Direto para o futuro, direto para o abismo
Então tenho que escolher entre direita e esquerda
Amanhã não dará mais tempo para escolhas
Mais dúvidas sobre a minha vida
Amar passou a ser sinonimo de duvidar
Remouo meus sentimentos, e penso se não deveria esperar...

Dúvidas

Agora estou receoso
Morro de medo de escolher o caminho errado
Onde antes via um sorrio, agora vejo apenas dúvidas
Receio escolher a estrada que me levará ao abismo
E perceber que estou caindo só depois do fim
Devo esperar na encruzilhada por ela?
Última chance de escolher, antes que tudo desapareça
Vitimado por minha indecisão serei
Invadido pelos pensamentos do erro
Devo continuar aqui esperando?
Aonde poderei encontrar meu companheiro e guia por este caminho?

Sonhos Despedaçados

Sinto medo de mim mesmo, do que posso fazer
Ouço minha mente gritando que devo me afastar
Nego-a, assim como nego a voz do coração...

Horas avançam sem me dar conta
Olhos fechados, não quero ver
Sua voz me chama de volta a realidade, a tristeza...

Depois fico em dúvida quanto ao que vejo
Espero pacientemente que alguém venha, segurar-me a mão
Salvar-me da escuridão, guiar-me pelas sombras...

Perdido da graça,
Entre as brumas tenebrosas da minha vida
Desisto de tudo, não quero mais procurar a luz...

Ainda sonho com ela
Com alguém para me guiar
Ainda não escolhi, pois espero alguém para me acompanhar...

Depois de tudo ainda tento encontrar
O meu caminho e alguém para amar
Sem medo das sombras, abençoados pelo luar

Desculpe

Desisto de tentar
Esquecer também não consigo...
Solidão me assola novamente
Custo a dormir pensando...
Uma vez mais magoei a quem amo
Levarei mais essa culpa para o túmulo...
Perdão não me será dado
E fadado ao esquecimento, me vou

Uma Ultima Carta

Amada amiga,

Fui deixado sozinho novamente... O que fiz agora? Você me conhecer tão bem, mas está sempre tão distante, tão fria...
Só dessa vez, me responda... O que fiz de errado? Não quero mais tentar descobrir...
Olho para o céu e não vejo mais o azul. Fito aqueles que se dizem meus amigos, e vejo que nenhum deles sequer notou... No final, sou apenas mais uma pessoa sem importância...
Fico aqui pensando... Será que morrer dói? Já sei, já até sei... "Por que você não experimenta? Mas antes me avise, quero lhe dizer 'adeus, seu cretino hipócrita'"
Acho que você tem razão... Não, tenho certeza. Sou um hipócrita, um cretino mentiroso...
Agora acho que entendo... Nunca aprendi a amar... Não sei o que é ter amigos, confiar e me entregar... Sempre estive separado do mundo por uma parece invisível, uma parede formada por mentiras e sentimentos inventados. Uma parece que por dentro é escura, fria e silenciosa...
É isso que você queria dizer com "a culpa não é só sua"? N…

Abismo

Eu entendi... Entendi como começou tudo isso... Entendi que sentimento é esse que me destruiu por dentro...
Não consigo explicar muito bem... Acho que isso não pode ser explicado... A vida passou muito perto, muito rápida... E quando terminou de passar, levou consigo algo... Algo que me impedia de ver o abismo bem na minha frente...
O que uma pessoa normal pensa na frente desse abismo? Retroceder... Acho q todos pensam assim no primeiro instante... Mas, não podemos voltar...
O tempo nunca irá voltar... Não podemos criar um novo começo... Mas podemos mudar agora e criar um novo fim...
Feliz é aquele que pôde ver o abismo e dele experimentar sem nele cair... Pois esses sim poderão dizer, quando estiverem bem velhinhos, antes de sua morte, que viveram verdadeiramente, e não se arrependem de nada...
Este é o ultimo passo... É sempre o ultimo passo... A escolha entre seguir reto ou cair no abismo...

“Com o tempo você aprende a sutil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma”
William Shake…

Solidão

"Sinto-me tão sozinho agora
Como se não houvesse mais nada,
Mais ninguém
Que pudesse me levantar
Me colocar de volta à vida

Me sinto bem pior do que estava
Como se não houvesse mais nada que me segurasse
Como se o abismo me chamasse com mais intensidade
Agora, vendo a escuridão da noite
Me dá uma sensação tão estranha...

Somente a lua a me iluminar
Somente ela a me acompanhar
Me ouvir
Me entender

Meu amor acabou se afastando e a culpa é toda minha
Saber disso é uma lástima
Comigo agora, apenas a solidão
Devo me acostumar com isso

Sozinho nesse mundo inútil e incompreensível
Sem o amor que sempre tive,
E que joguei fora
Por pensamentos inúteis

Terrível saber que só agora fui me tocar
de que é você que eu quero
É de você que eu sinto falta todos os segundos
É a sua companhia que é tudo pra mim,
Nesse, e em todos os outros momentos de minha vida..."

O Avesso

Não te amo mais
Estarei mentindo dizendo que
Ainda te quero como sempre quis
Tenho certeza que nada foi em vão
Sinto dentro de mim que
Você não significa nada
Não poderia dizer jamais que
Alimento um grande amor
Sinto cada vez mais que
Já te esqueci
E jamais usarei a frase
EU TE AMO
Sinto muito; mas tenho que dizer a verdade
É tarde de mais...



/\

Carta de um(a) apaixonado(a)

“Nós só percebemos quando uma pessoa realmente é importante, quando a perdemos. Eu perdi uma pessoa. Acho que uma das mais importantes da minha vida...
A culpa foi minha. Eu o magoava. Ele mudou por minha causa. Porque eu pedia... Ou melhor... Mandava. Ele me obedecia porque me amava. Eu já desconfiava disso, mas procurava evita-lo sempre. Até mesmo um simples pedido eu negava... E ele sofria por isso. Tantas brigas e discussões por motivos ínfimos... Chegava a ser humilhante para ele.Eu não deixava transparecer meus verdadeiros sentimentos... Na realidade, nem sabia quais eram... Queria me isolar do mundo. Estava com medo de confundir... Confundir uma simples amizade exacerbada com amor... Medo de me magoa-lo de novo. De me magoar.
Ele é... Ou era... Um de meus melhores amigos. E, mesmo depois de tantas brigas, ele não me abandonava. Fazia de tudo para me alegrar... Como se isso fosse possível... E tudo isso porque me amava... E agora eu percebo o sofrimento dele... Porque também o amo…
Lágrimas rolam pelo meu rosto sem eu conseguir contê-las... O escuro se fecha cada vez mais em minha volta... Faz tempo que parei de torcer pra q alguém acenda a luz e me fale q foi tudo uma brincadeira... Não, isso não vai acontecer...
Não escuto mais aqueles outros... Aonde será que eles foram? Aonde será q foram os que estavam antes deles? Aonde foram todos os que estavam aqui, todos q passaram por aqui?
Seguiram suas vidas... Mas nenhum se lembrou daquele no canto, abraçado as suas pernas, se movendo para frente e para trás, tentando espantar as trevas que o cercam...
Ninguém se lembrou de tirá-lo dalí, ou pelo menos de acender a luz ao sair... Ninguém nem ao menos pensou nessas possibilidades...
Agora novamente sozinho, espero pelos próximos... Será q alguém se importará? Será q alguém se lembrará dessa sombra?
Lágrimas continuam rolando... Como é difícil tudo isso... Só queria colocar o ponto final nessa história...

O Cavalinho e a Borboleta

Esta é a história de duas criaturas de Deus
que viviam numa floresta distante há
muitos anos atrás.Eram elas, um cavalinho e uma borboleta.
Na verdade,
não tinham praticamente nada em comum,
mas em certo momento de suas vidas se
aproximaram e criaram um elo.A borboleta era livre,
voava por todos os cantos da floresta
enfeitando a paisagem.Já o cavalinho, tinha grandes limitações,
não era bicho solto que pudesse viver
entregue à natureza.
Nele, certa vez,
foi colocado um cabresto por alguém
que visitou a floresta e a partir daí sua
liberdade foi cerceada.A borboleta, no entanto,
embora tivesse a amizade de muitos
outros animais e a liberdade de voar
por toda a floresta,
gostava de fazer companhia ao cavalinho,
agradava-lhe ficar ao seu lado e não era por pena,
era por companheirismo, afeição,
dedicação e carinho.Assim, todos os dias, ia visitá-lo e lá
chegando levava sempre um coice,
depois então um sorriso.Entre um e outro ela optava por esquecer
o coice e guardar dentro do seu coração o sorriso.Sempre o cav…

Medos e Sonhos...

Qual seu maior sonho? Qual seu maior medo?
Duas perguntas tão fúteis e fáceis de responder... Mas, diga a verdade... Pense antes de responder...
O que é um sonho? Não digo aquelas imagens que você visualiza durante o sono... Quero dizer, qual o objetivo da sua vida? Por que você vive? Qual é a coisa que você luta todos os dias para conseguir?
Esperava ouvir isso... Não quero essas coisas fúteis que chamam de sonhos... "Ser rico", "viajar para tal lugar"... Quero dizer, o que move tua alma? Qual o verdadeiro significado de sua vida?

E quanto ao medo? O que mais te aterroriza? Qual a coisa que te tiraria o chão, te jogaria ladeira abaixo, te faria pensar como um de nós, condenados ao silêncio?

Difícil de responder, não? E se eu te disser que essas duas perguntas são a chave para a verdadeira identidade de uma pessoa? Nossa alma é sustentada por nossos sonhos, enquanto nossos medos nos fazem descer pelo Abismo...
Qual é a mais forte? Pra qual lado você pende mais? Você é um…

Tendências...

Quem nunca pensou nisso? Um jeito fácil e rápido de resolver todos os problemas... Uns pensam q apenas vão criar mais problemas e sofrimento para os seus, outros simplesmente não têm coragem...

Mas, e quem tem coragem? Você já pensou nisso? Como pensa uma pessoa que chega a essa atitude extrema?

Não é de hoje que não me importo com o que os outros pensem... Sou dono de minha vida, faço dela o que quiser... Mas, não tenho coragem de tirar minha máscara nem na derradeira hora...

Esquecer pelo álcool, pela adrenalina, pela overdose de sons e sabores... Pertenço a um grupo que nem essa atitude conseguiu completar... Uma, duas, três, várias vezes... Um jogo em busca da perfeição no ato, no derradeiro perfeito... Afinal, não quero trazer mais problemas do que poderia trazer... Quero que todos saibam que fui eu o arquiteto disso tudo, mas ao mesmo tempo quero manter tudo isso em palavras pequenas, numa dúvida respondida, mas que não se cala...

Tento buscar isso do jeito que muitos fizeram... Uma…

...

Odeio fingir... Falar manso quando quero gritar, rir quando quero chorar... Ver a pessoa amada triste, desanimada, e não poder abertamente ir ajudá-la... Ter que fingir que nada mudou, enquanto se sabe que sua máscara esta rachando...
E se eu perdesse a calma? Não quero mais saber os motivos, ou não poderei manter minha máscara de pessoa comum. Quero abraçá-la, beijá-la, dizer pra todos o que penso, o que sinto, não mais dizer coisas bonitas pra mantê-los longe da verdade, nem tentar me aproximar como um amigo...
Agora tenho que me mostrar indiferente, tenho que continuar minha vida, mesmo sabendo que está cada vez mais difícil...
Queria apenas que as coisas não fossem tão difíceis...

Perdão

De todos os meus temores, o maior é esse...
Passei alguns anos de decepção com as pessoas... Aprendi a não confiar plenamente nas pessoas, a temer a traição, a recear o ostracismo... Mas eu estava satisfeito, achando que ter as pessoas por perto iria me atrapalhar...
Agora penso diferente, senti o gosto de amigos que não querem apenas me usar, de uma amizade sem interesse... Mas ainda não aprendi como retribuir, como confiar... Sempre receoso, nunca aprendi a cultivar os verdadeiros amigos. Sou uma pessoa que não entende os outros, acabando por engrossar a parede invisível que me separa das pessoas...
Magôo as pessoas, meus amigos, quem me quer bem, apenas por não entendê-los, por não confiar, estar sempre reticente sobre o que fazer, sobre acreditar ou não...
Peço desculpas para essas pessoas, para meus amigos, pela minha hipocrisia e por não saber o que fazer. Peço desculpas pelas palavras e ações impróprias, e peço desculpas por não saber confiar nelas...

Solidão

Você já passou despercebido? Já esteve ali, e ninguém repara na sua presença?

O que é solidão? Estar sozinho? Ou estar só?

Mas, que diferença tem sozinho e só? Você pode estar um sem estar o outro, ou não... Sozinho implica fisicamente, estar longe das outras pessoas...

Mas "só" é outra história... "É solitário andar por entre a gente", dizia Camões, repetido por Renato Russo, e por alguns outros... Agora é minha vez de dizer... É quando, mesmo rodeado de pessoas, mesmo de amigos, você se sente sozinho...

Só também é aquele invisível... Estar ali, e ninguém ver, querer gritar, querer acertar alguém pra extravasar sua cólera!

Mas estou só, mas não sozinho. Vejo-a chegando, me sinto feliz, leve... Mas percebo que estou enganado. Não é a pessoa que eu queria ver, não é a única pessoa que eu aceitaria desabafar... Peço desculpas para os outros, e me retiro. Estar sozinho é muito melhor para pensar, pra ouvir sua alma falando... Mas a mim só chegam as risadas do monstro dent…

Nostalgia

Ora, como posso explicar? Um segundo te amo, no outro te odeio...

Nessa metamorfose de pensamentos, encontrei pessoas q finalmente me tiraram da fossa...
Um sonho... Mas, como todo sonho, um dia acordamos... E vemos q não encontramos pessoas especiais, e sim nos traímos, e nos tornamos aquilo que sempre abominamos...

De repente, seu pilar desaparece... Você cai no vazio, e no absoluto silêncio, encara sua alma no espelho, e vê algo muito pior... Hipócrita, mentiroso... Sua reação é primeiramente a fúria... Queremos destruir aquela imagem maldita, fingir que não acordamos... Depois, vem a culpa... Aonde foi parar aquela pessoa q você era a 7 meses? Apenas uma lembrança...

Uma lembrança... Sou um hipócrita, sou obrigado a assumir, mas não posso voltar o tempo... Por trás da máscara de bom garoto, de pessoa feliz... O que estou pensando? O monstro que vejo nos cacos do espelho que destruí, enquanto deste lado eu choro, olhando as pessoas que gosto afastadas, uma barreira invisível entre …